segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

POLICIAL MILITAR É AFASTADO SUSPEITO DE FACILITAR FUGA DE PRESOS


Um policial militar foi afastado da corporação suspeito de ter facilitado a fuga ocorrida na madrugada deste sábado (7) na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), na Grande Natal. Em depoimento, um dos detentos que foi recapturado informou que o policial, que atua como guariteiro da unidade, recebeu R$ 30 mil para facilitar a fuga dos presos por um túnel. A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) prefere manter o nome do agente em sigilo até o fim da investigação.

O policial será afastado, inicialmente, pelo prazo de 40 dias. De acordo com o assessor de comunicação da Polícia Militar, major Eduardo Franco, foi instaurado um processo administrativo para investigar a conduta do policial e apurar o crime.

Sobre a saída deste sábado, ainda no interrogatório, o preso disse que os detentos "vinham planejando a fuga há 30 dias e que estavam acertando a fuga com o guariteiro conhecido por (a identificação do guariteiro, que é um policial militar, será preservada), o qual disse que na véspera do Ano Novo não seria possível, mas que daria certo para este mês".

De acordo com o preso recapturado, cada um dos fugitivos deu R$ 3 mil à mulher de um os presos, que repassou o valor recolhido ao guariteiro. O detento disse acreditar que a fuga tenha rendido cerca de R$ 30 mil ao policial, que estava de serviço na guarita que fica próxima ao pavilhão 1 da unidade prisional entre as 2h e as 4h deste sábado. A fuga, segundo a Sejuc, ocorreu por volta das 3h30.

O G1 entrou em contato com o delegado Pedro Paulo Falcão. Ele confirmou que interrogou o preso recapturado, mas não quis falar sobre o assunto com a reportagem. O delegado disse que já enviou cópias do documento para a Secretaria de Justiça e Cidadania e também para a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) e que pediu à direção do presídio que o detento seja mantido isolado dos demais. A denúncia do preso será investigada pela Polícia Civil, que contará com o apoio da Polícia Militar. A PM também vai instaurar um procedimento administrativo para apurar a conduta do policial caso haja os indícios previstos em Lei.

Outro caso
Em dezembro de 2016, um dos 19 fugitivos da Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), na Grande Natal contou detalhes e afirmou que a fuga, ocorrida no dia 18 de dezembro, foi comprada. Em vídeo divulgado pela Polícia Civil, preso relata que "os 11 primeiros pagaram para fugir”, mas não sabe informar a quem o dinheiro foi entregue. “Quando eu olhei, os meninos estavam subindo o muro. Eu perguntei se podia ir e eles disseram que se tivesse coragem, que fosse”, relata. 


A Polícia Civil do Rio Grande do Norte instaurou inquérito para apurar a possibilidade de facilitação da fuga. Na ocasião da debandada, segundo a Polícia Militar, uma das quatro torres de vigilância do presídio estava desativada por falta de efetivo – mesmo a guarda tendo sido avisada da possibilidade de uma fuga naquele dia.

De acordo com relatório elaborado pela Polícia Militar sobre o ocorrido, um soldado presenciou a fuga por volta da meia-noite. O G1 teve acesso ao documento. Nele, o comandante da guarda da penitenciária também relata ter ocorrido uma ‘pane’ no fuzil de um policial que presenciou a fuga, e de uma ‘interferência na comunicação’, o que impediu que a central registrasse um pedido de apoio que foi feito via rádio. “A mesma não copiou”, escreveu o PM.

Segunda fuga
Essa já é a segunda fuga de unidades prisionais do RN neste ano. Cinco presos escaparam na do Centro de Detenção Provisória da Zona Norte de Natal na terça-feira (3). O número foi confirmado pelo assessoria da Secretaria de Justiça e da Cidadania (Sejuc). Segundo a Sejuc, todos foram recapturados.


G1RN