terça-feira, 31 de janeiro de 2017

FORÇAS ARMADAS FICAM MAIS CINCO DIAS COMPONDO A OPERAÇÃO POTIGUAR II

 
O gabinete civil do Estado do Rio grande do Norte confirmou no final da tarde desta segunda-feira (30) a permanência das forças armadas em solo Potiguar por mais cinco dias. O pedido foi protocolado pelo governador Robinson Faria na última sexta-feira.

Equipes do Exército, Marinha e Aeronáutica passaram a compor a operação Potiguar II desde o dia 22 de Janeiro e deveriam concluir as ações de garantia da lei e da ordem no final da noite desta segunda. No entanto o governo Federal entendeu a necessidade da permanência das tropas devido ao clima de insegurança promovido por atentados a bases policiais, incêndios a veículos e explosões a bancos.


Portal BO

INTEGRANTES DO PCC SÃO TRANSFERIDOS PARA PRESÍDIO FEDERAL

 
Cinco presos integrantes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC), e que são apontados como líderes da rebelião que aconteceu na Penitenciária de Alcaçuz ocorrida no dia 14 de janeiro, foram transferidos da Central de Flagrantes da Polícia Civil para uma Penitenciária Federal, na manhã desta terça-feira (31).

O trabalho de transferência foi realizado por agentes penitenciários, policiais militares e policiais civis. Participaram da ação integrantes do Grupo de Escolta Penal (GEP), Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), Batalhão de Polícia de Choque, Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (ROCAM) e Comando de Polícia Rodoviária Estadual (CPRE).

Os cinco detentos foram indiciados pela Polícia Civil por todos os 26 homicídios cometidos dentro do presídio, pelos crimes de dano público, lesão corporal, vilipêndio de cadáver e associação criminosa.

Quem são os detentos transferidos:

1) José Cláudio Candido do Prado: Ele foi condenado a 75 anos de prisão pela prática dos crimes de homicídio, roubo e tráfico de drogas. José Cláudio é do Estado de Mato Grosso.

2) Tiago de Souza Soares: Condenado a 38 anos e seis meses pela prática dos crimes de homicídio e tráfico de drogas.

3) Paulo da Silva Santos: condenado a 32 anos pelos crimes de extorsão e tráfico de drogas.

4) João Francisco dos Santos: condenado a 39 anos por ter matado o jornalista F Gomes.

5) Paulo Márcio Rodrigues de Araújo: é preso provisório, ainda não foi condenado. Ele é da cidade de Ipanguaçu.

Portal BO

AGENTES ENCONTRAM ARMAS NOS PAVILHÕES EM ALCAÇUZ


A Força Tarefa de agentes penitenciários que está dentro dos pavilhões 4 e 5 de Alcaçuz desde a sexta-feira (27) realizou uma revista na madrugada deste domingo (29) e encontrou mais armas de fogo no Pavilhão 5.

No total, eles apreenderam três revólveres, duas pistolas, sendo uma delas uma mini pistola, e mais três espingardas calibre 12 feitas artesanalmente pelos presos.

Os agentes penitenciários encontraram vários esconderijos, onde estavam as armas, munições, drogas e celulares. Agora, a Sejuc informou que vai identificar os presos responsáveis pelas armas para que eles sejam responsabilizados.

As munições apreendidas são de calibre 32 e 38, de calibre 380, bem como calibre 635, usado na mini pistola, e ainda cartuchos de espingarda calibre 12.

Portal BO

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

POLÍCIA OCUPA PENITENCIÁRIA DE ALCAÇUZ PARA REVISTA EM PAVILHÕES

 
Policiais do Bope, Tropa de Choque e o Grupo de Operações Especiais (GOE) da Secretaria de Justiça (Sejuc) ocuparam, ao meio-dia desta terça-feira (24), a Penitenciária Estadual de Alcaçuz, na Grande Natal, para realizar uma revista minuciosa nos pavilhões. O presídio enfrenta rebeliões desde o sábado (14), quando 26 detentos morreram.

As equipes também vão apoiar a colocação de um muro de contêineres para separar as duas facções rivais do presídio e em uma série de ações emergenciais para tentar conter as rebeliões e fugas.

Policiais e agentes penitenciários chegaram por volta das 7h30 (8h30 horário de Brasília) ao presídio para dar início à ocupação, que só começou às 10h, com a entrada da Tropa de Choque.

Às 9h40, pouco antes da intervenção, os presos se recolheram aos pavilhões e começaram a rezar.

Às 10h20, houve uma ordem de rendição para os presos do pavilhão 2. Em seguida, os policiais seguiram em direção ao pavilhão 1, onde usaram bombas de efeito moral. Às 11h30, policiais ocupavam os pavilhões 1, 2 e 3. Já o GOE havia ocupado os pavilhões onde ocorreu o massacre de 26 detentos: 4 e 5.


G1RN

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

POLICIAL MILITAR É AFASTADO SUSPEITO DE FACILITAR FUGA DE PRESOS


Um policial militar foi afastado da corporação suspeito de ter facilitado a fuga ocorrida na madrugada deste sábado (7) na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), na Grande Natal. Em depoimento, um dos detentos que foi recapturado informou que o policial, que atua como guariteiro da unidade, recebeu R$ 30 mil para facilitar a fuga dos presos por um túnel. A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) prefere manter o nome do agente em sigilo até o fim da investigação.

O policial será afastado, inicialmente, pelo prazo de 40 dias. De acordo com o assessor de comunicação da Polícia Militar, major Eduardo Franco, foi instaurado um processo administrativo para investigar a conduta do policial e apurar o crime.

Sobre a saída deste sábado, ainda no interrogatório, o preso disse que os detentos "vinham planejando a fuga há 30 dias e que estavam acertando a fuga com o guariteiro conhecido por (a identificação do guariteiro, que é um policial militar, será preservada), o qual disse que na véspera do Ano Novo não seria possível, mas que daria certo para este mês".

De acordo com o preso recapturado, cada um dos fugitivos deu R$ 3 mil à mulher de um os presos, que repassou o valor recolhido ao guariteiro. O detento disse acreditar que a fuga tenha rendido cerca de R$ 30 mil ao policial, que estava de serviço na guarita que fica próxima ao pavilhão 1 da unidade prisional entre as 2h e as 4h deste sábado. A fuga, segundo a Sejuc, ocorreu por volta das 3h30.

O G1 entrou em contato com o delegado Pedro Paulo Falcão. Ele confirmou que interrogou o preso recapturado, mas não quis falar sobre o assunto com a reportagem. O delegado disse que já enviou cópias do documento para a Secretaria de Justiça e Cidadania e também para a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) e que pediu à direção do presídio que o detento seja mantido isolado dos demais. A denúncia do preso será investigada pela Polícia Civil, que contará com o apoio da Polícia Militar. A PM também vai instaurar um procedimento administrativo para apurar a conduta do policial caso haja os indícios previstos em Lei.

Outro caso
Em dezembro de 2016, um dos 19 fugitivos da Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), na Grande Natal contou detalhes e afirmou que a fuga, ocorrida no dia 18 de dezembro, foi comprada. Em vídeo divulgado pela Polícia Civil, preso relata que "os 11 primeiros pagaram para fugir”, mas não sabe informar a quem o dinheiro foi entregue. “Quando eu olhei, os meninos estavam subindo o muro. Eu perguntei se podia ir e eles disseram que se tivesse coragem, que fosse”, relata. 


A Polícia Civil do Rio Grande do Norte instaurou inquérito para apurar a possibilidade de facilitação da fuga. Na ocasião da debandada, segundo a Polícia Militar, uma das quatro torres de vigilância do presídio estava desativada por falta de efetivo – mesmo a guarda tendo sido avisada da possibilidade de uma fuga naquele dia.

De acordo com relatório elaborado pela Polícia Militar sobre o ocorrido, um soldado presenciou a fuga por volta da meia-noite. O G1 teve acesso ao documento. Nele, o comandante da guarda da penitenciária também relata ter ocorrido uma ‘pane’ no fuzil de um policial que presenciou a fuga, e de uma ‘interferência na comunicação’, o que impediu que a central registrasse um pedido de apoio que foi feito via rádio. “A mesma não copiou”, escreveu o PM.

Segunda fuga
Essa já é a segunda fuga de unidades prisionais do RN neste ano. Cinco presos escaparam na do Centro de Detenção Provisória da Zona Norte de Natal na terça-feira (3). O número foi confirmado pelo assessoria da Secretaria de Justiça e da Cidadania (Sejuc). Segundo a Sejuc, todos foram recapturados.


G1RN

CORPO DE BOMBEIROS DO RN EM ALERTA NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES


O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte (CBMRN), por meio do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS), durante todo o período da alta estação, que se estende até o dia 1 de março, atuará com um efetivo extra de mais de 50 militares, distribuídos do Litoral Norte ao Sul. Durante este período, a expectativa é que os Bombeiros atuem 18 praias, entre a Região Metropolitana e o interior do Estado. Desde o último final de semana, os guarda-vidas já estão nos locais de banho e de maior concentração de veranistas dando orientações sobre os cuidados no mar, para evitar afogamentos e outras situações de perigo à vida.

O comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte, coronel Sócrates Vieira de Mendonça Júnior, explica que a distribuição do efetivo e escolha dos locais de atuação levou em consideração alguns indicadores, como estatísticas das ocorrências, localização geográfica para o pronto emprego e atendimento, periculosidade e fluxo populacional (quantidade de banhistas), e garantiu que tanto a população quanto os turistas estão seguros, se seguir as dicas de segurança.

“A Operação Verão terá o objetivo de realizar atividades de orientação e prevenção aos banhistas na orla, atividades e resgate, busca e salvamento em meio aquático, e atividades auxiliares de socorros de urgência e atendimento de emergência pré-hospitalar às vítimas em meio líquido, obedecendo os protocolos de salvamento”, explica o coronel Sócrates Mendonça.

Os militares trabalharão de forma preventiva com a sinalização da orla com bandeiras de advertência aos banhistas nos locais com maior fluxo e que apresentem correntes de retorno; distribuição de pulseiras de identificação para crianças, momento em que os guarda-vidas prestarão orientações aos pais sobre as condutas de segurança no meio aquático bem como alertá-lo sobre os riscos de acidentes aquáticos caso não haja a devida atenção com as crianças; e a distribuição de folders educativos com dicas de segurança e condutas a serem adotadas para um lazer seguro nas praias, numa linguagem acessível.

Estatística
Ao longo de 2016, o Grupamento de Busca e Salvamento registrou 26.766 ocorrências ao longo do litoral potiguar, com destaque para o trabalho de orientação ao público (22.086) e advertência ao público (4.510). Além disso, as praias do Meio (59), Búzios (25), Areia Preta (23) e Redinha (22) foram as que registraram o maior índice de ocorrências no que diz respeito a resgate de vítima em meio líquido, encontro de cadáver, auxílio ao público e encontro de pessoas perdidas.

Dicas de segurança
Não superestime sua capacidade de nadar. Avalie as consequências de um possível incidente.
Em água doce ou salgada, prefira banhar-se em locais rasos e sem correnteza.

Se notar que está sendo arrastado por uma dessas correntes, mantenha-se calmo e tente acenar ou gritar por socorro enquanto nada transversalmente (para o lado, em vez de para o raso).

Não tente salvar pessoas vítimas de afogamento sem estar habilitado. Neste caso, lance algum objeto que a ajude a vítima a flutuar e acione guarda-vidas ou a emergência pelo telefone 193.
Crianças exigem cuidado redobrado. Não as perca de vista.

Sempre que possível, opte pelo uso do colete salva-vidas ao invés de objetos flutuantes.

Nunca nade após ingerir bebidas alcoólicas, alimentos ou se estiver passando mal ou com frio.

Evite aproximar-se de costões. Ao caminhar sobre as pedras destes ambientes, observe antes se uma onda não poderá atingi-lo e jogá-lo no mar.

Antes de mergulhar, certifique-se da profundidade. Um acidente pode provocar sequelas irreversíveis.

Não entre no mar quando ingerir bebidas alcoólicas e logo após as refeições.