quinta-feira, 28 de abril de 2016

COISAS!


Da Previdência Municipal
No Rio de Janeiro os aposentados, que já não podem mais fazer greve exatamente porque essa atitude não paralisa nenhuma atividade, estão sem receber seus ”aposentos”, alguns passando até fome, pois para estes o atraso começou em fevereiro. Aqui os aposentados têm os depósitos para custear o merecido descanso pelos anos trabalhados sob a tutela do governo municipal. Acreditamos que a atuação consciente da contabilidade atuarial (fundamentalmente o cálculo atuarial busca por meio do conhecimento histórico de distribuições estatísticas e hipóteses, formar um valor presente – atual – de um conjunto de obrigações a pagar ou receber em uma ou varias datas futuras) e de um conselho com representatividade e força de atuação, não importando ele se é deliberativo (quando há o poder de decisão sobre as questões envolvendo a gestão) ou consultivo (neste caso ele apenas opina, emite pareceres, podendo o gestor acatá-las ou não) essa possibilidade de possíveis atrasos fique só no imaginário.

Da política 1
A política em São Paulo do Potengi sempre foi uma tarefa fácil de prever. Sempre foi, não é mais. Não o foi no último confronto e não será neste. Pois vendo que na impossibilidade da candidatura de Azevedo abriu-se um vácuo, já são alguns correligionários dispostos a entrar na competição. Como é notório e histórico que o ex-gestor não prepara substituto, os aliados que querem participar dessa cruzada também não prepararam o terreno. Mas a ânsia pelo poder embota o raciocínio lógico dos políticos envolvidos. Para eles o eleitor é um mero item da legislação eleitoral. Um programa de governo que os proteja (o eleitor) num futuro alvissareiro também não passa de um requisito exigido para apresentação da candidatura.

Da política 2
Do outro lado as coisas também não vão às mil maravilhas. Lá existe um vice que ora é candidato, logo em seguida desiste. Em determinado momento flerta com uma das oposições, depois, talvez que por algum compromisso firmado, volta atrás. Além disso, tem-se que considerar as vozes da rua. Elas consideram a remota possibilidade de o administrador em exercício, com base em decisão do STE, ser impedido de concorrer. Isso também vem provocando motivos para a discórdia, a ciumeira e até algumas projeções. Claro que considerando o fato de que o atual prefeito, em virtude do baixo nível de aceitação da sua gestão, também tem contra si o fato de que existe uma banda orquestrando que ele entregue a sua candidatura para alguém melhor qualificado nas pesquisas de rua.

Da política 3
O azarão intrépido, combativo e combatido pré-candidato Dr. Ivan segue a sua caminhada imune a essas tempestades. Quem já esteve em contato com ele, e é sabido que defensores de ambos os lados já tiveram acesso ao que ele idealiza como exequível para o futuro do potengiense, já percebeu que ele, além de reunir as condições essenciais para assumir um mandato, tem planos bem estudados e com grandes possibilidades de serem executados. No entanto a sua grande dificuldade é reunir as oposições em torno de um projeto que pode ser a redenção do município, sem depender da importação dos voláteis postos de trabalho para dar ocupação à população economicamente ativa.

Santo Tito: Bancário Aposentado