sábado, 5 de março de 2016

INACREDITÁVEL!!!


Em São Paulo do Potengi poderemos ver, de maneira um pouco diferente, reeditada a fórmula da primeira conquista do atual gestor. Naquela oportunidade o então prefeito Azevedo, diante de uma vitória que se desenhava irreversível, apoiou o seu rival.

Atualmente uma das proposições que está na boca do povo é a de que o PMDB terá candidato próprio. A outra hipótese é aquela na qual um grupo de empresários estaria se reunindo em torno de um nome com o intuito principal de desarticular a candidatura de Dr. Ivan.

E agora, mesmo diante da postagem do nosso ilustre blogueiro Silvério Alves em que citava a forte união do prefeito e seu vice, e as declarações do próprio vice na mídia local afirmando que não seria candidato a nada no atual pleito, pois esse senhor, objeto dessas asseverações, é o nome que, há algum tempo, transita nos meios políticos como sendo aquele que vai, acreditem, FAZER PARTE DA OPOSIÇÃO na qualidade de candidato a prefeito. E mais: apoiado pelo PMDB de Azevedo, já que conforme o § 2o do Art. 80 do Estatuto Partidário do PMDB, somente poderá ser candidato a cargo eletivo o filiado que, na data da eleição, contar com no mínimo um ano de filiação partidária. 

Muito embora a resolução no 001/2015, publicada no dia 18 de novembro de 2015 e assinada pelo presidente em exercício Michel Temer, já com base nas janelas que se abriram, tenha modificado este prazo para seis meses. No jargão popular nós diríamos: “É mole?”

Atualmente o que se vê é a população em geral falando o seguinte: “me prometeu emprego, e até hoje...!”; “faz dois meses que o nosso salário está atrasado”; “Herança ?!!!...”; “não fez nada”, “mandou o trator, mas tive que por óleo e pagar o motorista”, etc, etc e etc...

Entretanto, o que nos deixa mais estarrecido é a existência de uma predisposição para a continuidade da atual governança. De uma forma ou de outra. Aí nos perguntamos? Porque?

Para que? Será que os objetivos de Dr. Ivan são tão divergentes do ideal administrativo? Ou ninguém quer perder o “status quo” pernicioso?

Da forma como estou arguindo sobre o processo político/2016 deixa transparecer que um terceiro ou um quarto nome não seriam bem vindos. Para os que me conhecem, sabem que não é bem assim que eu penso, além disso, na atual conjuntura, o líder das pesquisas boca-a-boca aposta no quanto mais melhor. Vejam só: os candidatos postos para o atual pleito são de conhecimento do eleitorado. Desses, diante de uma provável impossibilidade de Azevedo, somente dois com reais condições foram apresentados. Os demais ainda terão que por a cara na vitrine e mostrar que realmente querem uma São Paulo do Potengi progressista, ou apenas ser mais um(a) nessa multidão de abnegados(as) pelo poder e suas benesses. Lembrando sempre que Dr. Ivan está onde está por uma exigência do eleitor que já o aceitou, ocupando, sem esforço algum, um espaço cedido naturalmente depois de uma desistência prematura que poderia ter mudado radicalmente o rumo desta campanha.

“O castigo dos bons que não fazem política é serem governados pelos maus” ... Platão.

Santo Tito: Bancário Aposentado