sábado, 20 de fevereiro de 2016

UM PROFISSIONAL NA PREFEITURA


Muito se tem falado que os administradores municipais chegam ao poder sem o mínimo de tarimba para o cargo. São sempre umas figuras decorativas para os políticos que os projetaram, os quais querem manter sua hegemonia através deles. Mas, na maioria das vezes, a rebelião acontece logo ao primeiro contato com o poder.

Prosseguindo nessa ótica vamos entender o que passa pela cabeça do eleitor, ou melhor, aquilo que querem que ele pense quando se aproxima uma campanha eleitoral.

Nos municípios menores os concorrentes são, normalmente, dois. Cada lado construindo a figura do seu candidato e desconstruindo o esboço do oponente. Ou seja, quem esta no poder ou aquele que recebe o seu manto sagrado já tem uma arquitetura planejada. Quem esta chegando precisa se proteger dos ataques, desenhar uma plataforma e mostrar como pode ser útil no desenvolvimento de suas proposições.

No caso presente, o Dr. Ivan é o patinho feio da oposição que surgiu do nada com coisa nenhuma para mostrar. Mas isso é só nas aparências, pois ele é o primeiro pré-candidato profissional da área da saude com conhecimento e vontade de mostrar que quem milita nesta área tem uma percepção mais aguda sobre o que aflige a população mais carente. E essa sua presença diária em constante contato com as dificuldades impostas àqueles que dependem de uma saúde publica deficitária, aguçou a sua sensibilidade de potengiense nato, encorajando-o a trilhar por um caminho espinhoso: a política. Uma atividade cívica que sofre com o escamoteamento contumaz por parte dos maus governantes, fornecedores inescrupulosos, secretariado com a visão voltada apenas para seus projetos pessoais e funcionários desonestos.

A sua intimidade com a educação também o credencia para melhorar a qualidade do ensino, qualificação esta que pode intervir de maneira soberana nas relações sociais, na segurança pública, na limpeza urbana, na saúde pública. Querendo ou não pessoas educadas são mais sociáveis; tem menos tendencia a violencia; são mais higiênicas; tornam a mão de obra mais classificada; adoecem menos, pois entendem melhor aquilo que traz malefícios à saude.

Pode-se dizer que é um candidato freelancer de oposição, pois está exatamente entre a situação e a oposição tradicionais. Não é afilhado de ninguém. Tem luz própria. É o chamado azarão que veio para ficar. Ficar para fazer historia através de uma administração futurística, colocando São Paulo do Potengi no rol dos municípios gerenciados com uma visão totalmente voltada para o bem-estar social, sem mentiras nem enganações, com um principio único: total clareza dos atos financeiros de governo através de uma portal da transparência que se tornou obrigatório para municípios que tenham até 50.000 habitantes após quatro anos de promulgada a LEI COMPLEMENTAR Nº 131, DE 27 DE MAIO DE 2009.

Santo Tito: Bancário aposentado